Partilhar

Domínio do Açor Encruzado

Em stock
SKU
TW_14
55,50 €

Feito exclusivamente com uvas da casta Encruzado provenientes de vinhas com cerca de 33 anos e plantadas em solos graníticos. As são desengaçadas e esmagadas, seguido de decantação e fermentação com leveduras indígenas em barricas de carvalho Francês, com fermentação malolática completa. Estágio sobre as borras finas durante 11 meses. Baixa adição de sulfitos antes do engarramento, sem filtração ou clarificação antes do engarrafamento.

De cor limão intenso, no nariz é muito complexo, com várias camadas de fruta cítrica, fruta de caroço e de polpa branca, alguma resina e frutos secos, ligeiro floral, uma ligeira torrada e fumo muito subtil, tudo muito bem harmonizado e integrado a expressar toda a elegância e frescura do vinho. Na boca apresenta uma intensidade e um volume magníficos, uma harmonia de sabores e sensações vibrantes e persistentes, com muita frescura e mineralidade, terminando longo e inesquecível.

Acompanha bem pratos de marisco nobre, como arroz de lavagante ou carabineiro. 

Recomenda-se o seu consumo entre 10 e 12º.

Com grande capacidade de guarda, vai certamente evoluir muito bem em garrafa.

 

Avaliações e prémios:

18pts Jancis Robinson

Mais informações
Tipologia Vinho Branco
País Portugal
Região Dão
Estilo Branco complexo e estruturado
Casta Encruzado
Ano 2022
Capacidade 75cl
Enólogo Luís Lopes
Teor alcóolico 13,5%
Acidez
Doçura
Corpo
Intensidade aromática
Harmonização sugerida Carnes brancas grelhadas, Carnes vermelhas grelhadas, Assados
Prémios Robert Parker - 92pts, Jancis Robinson - 18pts
  • Compre 3 por 52,73 € cada e poupe 5%
  • Compre 6 por 49,95 € cada e poupe 10%

Feito exclusivamente com uvas da casta Encruzado provenientes de vinhas com cerca de 33 anos e plantadas em solos graníticos. As são desengaçadas e esmagadas, seguido de decantação e fermentação com leveduras indígenas em barricas de carvalho Francês, com fermentação malolática completa. Estágio sobre as borras finas durante 11 meses. Baixa adição de sulfitos antes do engarramento, sem filtração ou clarificação antes do engarrafamento.

De cor limão intenso, no nariz é muito complexo, com várias camadas de fruta cítrica, fruta de caroço e de polpa branca, alguma resina e frutos secos, ligeiro floral, uma ligeira torrada e fumo muito subtil, tudo muito bem harmonizado e integrado a expressar toda a elegância e frescura do vinho. Na boca apresenta uma intensidade e um volume magníficos, uma harmonia de sabores e sensações vibrantes e persistentes, com muita frescura e mineralidade, terminando longo e inesquecível.

Acompanha bem pratos de marisco nobre, como arroz de lavagante ou carabineiro. 

Recomenda-se o seu consumo entre 10 e 12º.

Com grande capacidade de guarda, vai certamente evoluir muito bem em garrafa.

 

Avaliações e prémios:

18pts Jancis Robinson

Sobre o produtor

Uma quinta histórica com património espectacular de vinhas velhas foi adquirida por um grupo de amigos em 2021. O Domínio do Açor está inserido em uma fascinante atmosfera junto à vila medieval de Oliveira do Conde. “Domínio” em alusão à filosofia de elaborar grandes vinhos de terroir no Dão, com uvas do “domaine”. E “do Açor” a evocar a geografia, defronte à Serra do Açor. Com a consultoria do mestre do terroir Pedro Parra e da enologia do talentoso Luís Lopes, com passagem pelo Comtes Lafon na Borgonha e pela Quinta da Pellada no Dão, o estilo é da elegância, frescura e mineralidade granítica.