Partilhar

Teixuga Branco

Em stock
SKU
MRW_229
Preço Regular 38,50 € Preço Especial 30,80 € Promoção válida de 14-04-2024 a 28-04-2024

Castas: Maioritariamente Encruzado, salpicado por outras castas da
vinha velha.

Vinhas: Vinhas velhas da Quinta da Teixuga.

Vinificação: Feito de uvas oriundas das vinhas velhas da Quinta da Teixuga, com predominância da casta Encruzado, este vinho fermentou numa primeira fase em cubas de inox, sujeito a um controle de temperatura, terminando a fermentação em barricas de carvalho Francês, onde estagiou por 34 meses. Durante o estágio, foi feita “bâtonnage” periodicamente, por forma a obter a ótima integração do vinho com a madeira. Após engarrafamento, este vinho estagiou ainda cerca de 7 meses em garrafa. Assim, dadas as particulares condições do estágio e as características tão próprias da casta Encruzado, este é um vinho com grande capacidade de envelhecimento.

Estágio: 34 meses em barricas novas e usadas de carvalho francês com battonage periódica. Após engarrafamento estagiou cerca de 7 meses em garrafa.

Notas de Prova:
Cor: Amarelo palha
Aroma: Grande intensidade, revelando complexidade aromática que se deve às particulares condições de estágio. Destaca-se a superior integração dos aromas oriundos do carvalho francês onde estagiou.
Boca: Ataque intenso, volumoso, revelando uma acidez viva mas muito integrada. O final é longo e memorável.

Harmoniza com Cabrito assado, bacalhau no forno, queijos de pasta mole. Recomenda-se consumir entre 12 e 14º.

 

 

Prémios e Avaliações:

18.5pts Revista Grandes Escolhas - Melhores do ano 2023.

Mais informações
Tipologia Vinho Branco
País Portugal
Região Dão
Estilo Branco complexo e estruturado
Casta Encruzado
Ano 2019
Capacidade 75cl
Enólogo Carla Rodrigues, Carloto Magalhães e Manuel Vieira
Teor alcóolico 14%
Acidez
Doçura
Corpo
Intensidade aromática
Harmonização sugerida Queijos, Carnes brancas grelhadas, Peixe no tacho, Peixe assado no forno, Bacalhau, Assados
Prémios Revista Grandes Escolhas - 18,5pts

Castas: Maioritariamente Encruzado, salpicado por outras castas da
vinha velha.

Vinhas: Vinhas velhas da Quinta da Teixuga.

Vinificação: Feito de uvas oriundas das vinhas velhas da Quinta da Teixuga, com predominância da casta Encruzado, este vinho fermentou numa primeira fase em cubas de inox, sujeito a um controle de temperatura, terminando a fermentação em barricas de carvalho Francês, onde estagiou por 34 meses. Durante o estágio, foi feita “bâtonnage” periodicamente, por forma a obter a ótima integração do vinho com a madeira. Após engarrafamento, este vinho estagiou ainda cerca de 7 meses em garrafa. Assim, dadas as particulares condições do estágio e as características tão próprias da casta Encruzado, este é um vinho com grande capacidade de envelhecimento.

Estágio: 34 meses em barricas novas e usadas de carvalho francês com battonage periódica. Após engarrafamento estagiou cerca de 7 meses em garrafa.

Notas de Prova:
Cor: Amarelo palha
Aroma: Grande intensidade, revelando complexidade aromática que se deve às particulares condições de estágio. Destaca-se a superior integração dos aromas oriundos do carvalho francês onde estagiou.
Boca: Ataque intenso, volumoso, revelando uma acidez viva mas muito integrada. O final é longo e memorável.

Harmoniza com Cabrito assado, bacalhau no forno, queijos de pasta mole. Recomenda-se consumir entre 12 e 14º.

 

 

Prémios e Avaliações:

18.5pts Revista Grandes Escolhas - Melhores do ano 2023.

Promo - 20%

Sobre o produtor

Situada em Vilar Seco, concelho de Nelas, no distrito de Viseu, a Quinta da Teixuga é uma propriedade de 30 hectares.

Situada em pleno coração da Região do Dão, está rodeada por maciços montanhosos, como a Serra da Estrela e Caramulo. Esta localização permite excelentes amplitudes térmicas para uma boa maturação das uvas levando a que o seu lento amadurecimento produza vinhos de aromas ricos e boa acidez.

Foi na Quinta da Teixuga que se inaugurou em 2017 a nova Adega, de cariz moderno, fruto de uma obra arrojada e inigualável com capacidade para vinificar 400.000 litros. A região do Dão adquire assim a jovialidade há muito ambicionada, sendo o projeto Caminhos Cruzados carinhosamente apelidada de "O Novo Dão", devido ao seu renascimento sob alçada moderna.